segunda-feira, janeiro 05, 2009

Se eu estiver bem,
e o meu cavalo alazão,
pouco se me dá
que a mulher para ou não.

Oração que um padre deu a uma gestante, com a ressalva de que ela só deveria lê-la após o parto, quando o padre já estaria muito distante. De uma das histórias da Dona Beatriz, avó do Chrysantho.

Um comentário:

Cristiano Knapp disse...

É o senso de humor enviado direto do papado de Roma.