segunda-feira, janeiro 26, 2009

Consolo-me

Consolo-me.
Agora a morte tem
o sopro terno
e eterna é a ternura.
Retorno, e retorna-
rá sempre meu sempre
retorno, ainda que tarde.
Talvez mesmo eu tarde,
mas nesse entanto interminável
é a vitória de mim
contra o termo irrevogável
do tartárico decreto
do torpe e tormentoso

fim.

3 comentários:

Kendra disse...

Felipeeeeeeee! é tu tatu?

Cristiano Knapp disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cristiano Knapp disse...
Este comentário foi removido pelo autor.