domingo, setembro 21, 2008

Quero matar o mundo

Quero matar o mundo,
isso que se chama mundo,
pra morrer, na matança,
e renascer desde criança.

Mas não vir assim jogado
num mundo feito, já criado.
Mas como um deus renascer
no vão do nada, silêncio do ser.

Então criarei tudo de novo:
Lixo, sujeiras, pessoas, povo.
Não teremos, porém, reggae e maçãs
e pra Bukowski não haverá fãs.

Cachorro Grande não poderá gravar,
nem Pollock terá mãos para pintar.
E ninguém há de morrer de tiques
quando eu falar mal dos beatniks...

Sendo um deus modesto feliz serei:
Não quero um mundo de rei,
assim perfeito, todo Rolling Stones,
somente um que não me faça ouvir Ramones.

3 comentários:

giancarlo rufatto disse...

GÊNIO!

Daniel disse...

É o desejo de todos nós, com leves alterações para cada caso. =D

Jean Johnson disse...

Nada a ver, rapaz. .Nada de mundo sem Ramones