domingo, junho 22, 2008

Quando duas autoridades se amam

O Excelentíssimo disse à Excelentíssima:
- Vossa Excelência, [...]
Ao que esta replicou:
- Vossa Excelência, [...]
E quando se casaram, um ao outro, pedindo vênia para se manifestar:
-Amo a vossa douta e ilustríssima figura.
E o som se reproduzia no tímpano do que ouvia, [...] vossa douta e ilustríssima [...].
Um dia o Excelentíssimo deixou de ser tão excelente assim e teve de se contentar com o Vossa Senhoria. E como homem sem título, ousou dizer um "eu te amo" à Excelentíssima.

Mas ela não conseguia lhe ouvir.

2 comentários:

Cristiano K. disse...

Hum. Análise patológica interessante sobre esta surdez elitista determinada por títulos a representar o abismo social que separa os iluminados dos não-tanto. Gostei =D
Alguma familiaridade? Acho que não, acho que não...

Felipe disse...

Fiz piada, fiz piada.