terça-feira, agosto 19, 2008

Anacreonte

Tradução minha do canto Para Cítara, do poeta grego Anacreonte (563-478 a.C.). A transliteração do grego é arbitrária, e a ela me obriguei porque o blogspot não tem fonte de letra grega.

EIS KITHARAN

Thélo légein Atréidas,
Thélo dè Kádmon áidein;
Ha bárbitos dè khordaîs
Érota moûnon ekheî.

Émeipsa neûra próen,
Kaì tèn lýren ápasan.
Kagó mèn êidon áthlous
Herakléous: lýre dè
Érotas antephónei.

Khároite loipòn hemîn
Héroes; he lýre gár
Mónous érotas áidei.
***
PARA CÍTARA

O Atrida quero cantar,
quero a Cadmo dar a loa;
mas o bárbito* que é teimoso
só amor na corda ecoa.

Há pouco troquei as cordas
e também a lira toda.
Mas se d’Héracles eu canto
as lutas, insiste a lira
e de novo o amor entoa.

Dos heróis, daqui p’ra frente,
me despeço: co’essa lira
só de amor se tira o verso.


*Bárbito é um instrumento semelhante à lira, mas com cordas mais compridas e de som mais grave.

Um comentário:

Adriana disse...

Longe de duvidar de seu trabalho, mas sua tradução me fez lembrar "O homem que sabia javanês" de Lima Barreto, já que arrisco dizer que a totalidade dos leitores do reduto mal lembram as letras gregas que usavamos nas fórmulas de física do segundo grau.