sexta-feira, novembro 20, 2009

Migalhas

homem vil homem
vil
se quer saber
o que construiu
tua vida assassina
essa sina de vida
esse sino do campo
do campanário do sono
no seio do povo
sem dono dormentes
adolediscentes
dissentes em bando
abandono
abrandando

olvida da vida o contingente acidente
o ato potente de ser impotente
o não presente em todo vão
que há no sim, no vim, no vi, no venci
apesar-de-si que em todo si é apenas si
apenas ri, é dó é ré é mi é ni
ilismo do fato, do gato e sapato, do ato
mo o tomo utopia o tomismo, el mismo
que é outro, que é porco, que é fosso,
que é morto que é

contempla só os rastos
nos restos do arrasto.

2 comentários:

BiblioeCia disse...

Ola!
Visite e adicione http://biblioecia.blogspot.com/ caso goste.

Zaza Rib disse...

Adorei a passagem por aqui, me senti em casa...........

bjs