sábado, novembro 01, 2008

Foi o Cristovão que disse

Felipe. Um belo nome. Nítido como um cavaleiro recortado contra o horizonte. Um nome com contornos definidos. Uma dignidade simples, auto-evidente, ele vai fantasiando: Felipe. Repete o nome várias vezes, quase em voz alta, para conferir se ele não se desgasta pelo uso, se não se esfarela no próprio som, esvaziado pelo eco - Felipe, Felipe, Felipe, Felipe. Não: mantém-se intacto no horizonte, firme sobre o cavalo, a lança na mão direita. Felipe.

C. Tezza - O Filho Eterno

2 comentários:

Daniel disse...

Eu não vou poder fazer a matéria dele antes de ele sair da Federal! [/não-realização de um sonho antigo]

Daniel disse...

Ah, e sobre o post mesmo: o Cristovão consegue realmente construir boas imagens de pensamentos simples e cotidianos, não? Até o teu nome parece forte por essa imagem. haha

E "Age quod agis" mereceu uma adaptação grande até pro Latin Quote of the Day, não?